sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Estrutura de produção que integra café e leite é novidade preparada pela FEMAGRI para cafeicultores mineiros e paulistas


Cooxupé apresentará o sistema Compost Barn no Espaço Pecuária durante o evento acontece de 21 a 23 de fevereiro

De 21 a 23 de fevereiro, os produtores rurais do sul de Minas Gerais e da média mogiana do estado de São Paulo – importantes regiões de bacia leiteira – encontrarão na 17ª FEMAGRI (Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas) novidades em estrutura de produção que integra café e leite. O Compost Barn, um sistema de confinamento de vacas leiteiras que começou na década de 80 nos Estados Unidos e que vem ganhando força nas propriedades agrícolas brasileiras, será apresentado durante a feira promovida pela Cooxupé em Guaxupé, Sul de Minas.

"Muitos dos nossos cooperados trabalham com as produções de café e leite, refletindo uma realidade muito forte da região e uma alternativa econômica eficiente para quem vive do agronegócio. Por isso, neste ano trouxemos este tema para que eles conheçam novas possibilidades para ganhar mais eficiência em seus negócios", destaca o presidente da cooperativa Carlos Paulino.

O Compost Barn é uma instalação rural feita em uma área coberta, com uma cama para as vacas feita com serragem e esterco incorporado e compostado. O processo de compostagem cria uma cama seca, confortável e limpa para o animal. Este tipo de alojamento ainda oferece maior espaço para descanso e, entre os principais ganhos estão melhores índices reprodutivos, melhoria na qualidade do leite, a redução do casco devido à liberdade de movimento e mais maciez em relação a outros sistemas como o free stall, em que a cama é feita com areia; entre outros. "As principais vantagens ao produtor são uma maior produção de leite com maior eficiência alimentar, além de números reprodutivos e sanitários melhores. O maior benefício para as vacas são a facilidade de adaptação, a menor quantidade de lesões e maior longevidade", pontua o médico veterinário e Consultor, Adriano Seddon, pioneiro em adaptar o Compost Barn no Brasil e que estará na FEMAGRI ministrando palestra sobre o tema. Segundo ele, em média o Compost Barn é 20% mais barato que o sistema de free stall, usado normalmente em propriedades. "Vale destacar também que este sistema produz uma grande quantidade de composto que é altamente benéfico para o solo", completa.

Sérgio Ribeiro Cruvinel, supervisor de mercado agropecuário da Cooxupé e médico veterinário, conta que na região da cooperativa a palha de café como cama está sendo utilizada no lugar da serragem. "E estamos tendo muito sucesso. Após um período, o composto volta à agricultura em lavouras de milho, pastagem e café, fornecendo matéria orgânica ao solo", antecipa.

Espaço Pecuária na FEMAGRI

Para a integração café/ leite na feira, a Cooxupé ampliou o Espaço Pecuária, confirmando para este ano a demonstração de animais de elite leiteira e de corte e a realização do 1º simpósio "Leite, Café e Prosa", com palestras que irão abordar novas técnicas sobre o manejo de gado leiteiro.

Além do Compost Barn, o simpósio apresentará palestras de outros temas integrados como a nutrição das vacas leiteiras no pré-parto, com o consultor da Cargill, Alexandre Pedroso. Segundo ele, a nutrição do animal e os bons cuidados neste período são essenciais para um bom desempenho produtivo e reprodutivo. "Vamos falar sobre os principais cuidados que todo produtor deve ter com os animais e os principais erros cometidos. As questões de nutrição, alimentação e conforto animal são fundamentais para que elas tenham saúde, sejam eficientes e lucrativas", explica.

Outra palestra a ser realizada é sobre a "Qualidade de Milho em dietas das vacas leiteiras", com o médico veterinário e diretor do laboratório 3rLabs, Marcelo Hentz. "Durante o encontro vamos abordar e analisar pontos importantes e essenciais para a produção de uma silagem de milho eficiente. Mostraremos laudos e comparar resultados para apresentarmos as vantagens que esta técnica está trazendo para os produtores", comenta.
"A Cooxupé sempre busca levar informações que possam melhorar e fortalecer cada vez mais a atividade dos cooperados. A FEMAGRI já tem a tradição em atualizar as informações junto aos produtores. Além de encontrar um celeiro de tecnologias para a mecanização das lavouras, eles também reciclam seus conhecimentos sobre novas técnicas de manejo e acompanham as tendências para ter uma atividade mais sustentável, eficiente e produtiva", conclui Paulino.

A 17ª FEMAGRI é um evento gratuito e que acontece das 08h às 18h, na cidade de Guaxupé.

Femagri traz vivência de cultivo sustentável do café e apresenta lançamentos para melhorar qualidade da produção


Fazendinha é o espaço dentro da feira que trará aos produtores uma verdadeira experiência de propriedade com métodos inovadores, de 21 a 23 de fevereiro, em Guaxupé-MG

Produção sustentável de café detalhada para que os produtores vejam na prática como atender às normas legais e também conhecer lançamentos para melhorar o desempenho nas lavouras. Esse é o objetivo da Fazendinha Femagri, que vem maior e com ainda mais novidades na edição 2018 da feira, que será realizada de 21 a 23 de fevereiro em Guaxupé-MG. A organização é da Cooxupé.

Nas estações do circuito da Fazendinha serão tratados os temas: Núcleo de Educação Ambiental, Terreiro Lama de cimento, Manejo pós-colheita do café para melhoria da qualidade do café, Uso do Mulching na cafeicultura, Armazenamento Correto de Defensivos, Tecnologia de Aplicação, Manejo de Solo, Tratamento de Esgoto Doméstico, Geoprocessamento, Uso de Equipamentos de Proteção Individual, Cafeicultura de Precisão e as Invenções dos produtores com dinâmica de máquinas.

Engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas do Departamento de Desenvolvimento Técnico da Cooxupé também estarão nas estações para orientações aos cooperados e visitantes. "A essência da Fazendinha é demonstrar práticas sustentáveis de produção para aumentar a produtividade da lavoura, a qualidade do café e atender às exigências da legislação e do mercado comprador de café. Adotando estas práticas na propriedade, o cafeicultor passa a produzir mais e com mais qualidade e de forma responsável. Isso garante o seu sucesso", diz Eduardo Rene da Cruz, Coordenador de Desenvolvimento Técnico da Cooxupé.

Entre os destaques de lançamentos que serão apresentados na Fazendinha Femagri de 2018 está o secador de café semi-estático Ecodryer da Penágos. "É um secador com um conceito diferente que promove uma secagem mais rápida dos frutos sem comprometer a qualidade do café. De fácil instalação, permite a secagem de até 3 lotes de café com diferentes teores de umidade", diz Eduardo. O coordenador também destaca o espaço que os visitantes e suas famílias terão disponível na Fazendinha. "Construída em madeira rústica e com plantas, os visitantes poderão descansar enquanto observam os animais que trazem o clima rural para o espaço", conta.

A ampliação da participação de instituições neste ano também é um dos destaques. Emater, Epamig, Ufla, Procafe, Sebrae, IEF, IF Sul de Minas e Fundação Neumann estarão presentes no espaço. Além destas instituições, as empresas Livroceres (venda de livros relacionados com o Agronegócio), P&A Marketing, Pinhalense e Palini&Alves, também estarão presentes na Fazendinha. Já temas inéditos serão apresentados pela e-Agro (plataforma e aplicativo de gestão para o agronegócio) e pelas empresas Braskem e Rioplastic (sobre o uso do Mulching na cafeicultura).

A Femagri será realizada entre os dias 21 e 23 de fevereiro, na Avenida Vereador Nelson Elias, no Bairro Japy, em Guaxupé, Minas Gerais. São esperados 35 mil visitantes que poderão conferir as inovações de 130 expositores. Com o tema "Produção responsável para uma cafeicultura de sucesso", o evento trará novidades para melhorar o futuro da produção nas lavouras de café e também soluções para a área da pecuária, além de trazer um espaço de conhecimento aos visitantes.


Cafeicultores da Cooxupé participam da 17ª FEMAGRI para investir em mecanização



Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas da cooperativa mineira acontece de 21 a 23 de fevereiro em Guaxupé

Mais de 35 mil cafeicultores do Sul de Minas, cerrado mineiro e da média mogiana do estado de São Paulo estarão na FEMAGRI – Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícola, organizada pela Cooxupé, para investir em mecanização para suas lavouras, em busca de competitividade. Os investimentos podem chegar em até R$ 800 mil em uma única colheitadeira de café, por exemplo.

Nem mesmo no período de crise, os cafeicultores cooperados da Cooxupé deixaram de investir. As últimas edições da FEMAGRI tem registrado crescimento na linha de negócios: em 2017 as negociações chegaram a R$ 169 milhões; em 2016 a R$ 130 milhões e em 2015 a R$ 122 milhões. O número de público também demonstra o desenvolvimento do evento e o interesse do produtor de café em investir. 

Na primeira edição, em 1997, o público foi de 2.500 visitantes. A partir da 14ª edição o número ultrapassa 30 mil pessoas. "Na edição de 2018 também registramos aumento de 8% do número de expositores (130 no total). Isto para nós significa que mesmo com os cenários adversos pelo qual nosso país passou, nossos parceiros e principalmente os cooperados não deixaram de comparecer à FEMAGRI e investir em suas atividades. 

Nossa feira sempre andou na contra mão da crise. Isto porque nossos produtores buscam mais eficiência para ganharem mais competitividade no mercado, tendo redução de custos. Vale destacar que os cooperados encontram na feira a oportunidade de comprar seus produtos utilizando o café como moeda de troca", explica o presidente Carlos Paulino.


A 17ª FEMAGRI é um evento gratuito e que acontece das 08h às 18h, na cidade de Guaxupé.

Serviço:
17ª FEMAGRI – Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas
Data: 21 a 23 de fevereiro de 2018
Horário: 08h às 18h
Endereço: Av. Vereador Nelson Elias, 1300b - Bairro Japy | Guaxupé
Evento Gratuito


quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

FEMAGRI 2018 quer melhorar o futuro da produção de café

Feira da cooperativa mineira Cooxupé será realizada entre os dias 21 e 23 de fevereiro com mais expositores e novas áreas


Maior e com boas expectativas de negócios, a 17ª edição da FEMAGRI (Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas) da Cooxupé trará novidades para melhorar o futuro da produção nas lavouras de café e também soluções para a área da pecuária, além de trazer um espaço de conhecimento aos cafeicultores. Realizado em Guaxupé, o evento acontece de 21 a 23 de fevereiro, com o tema "Produção responsável para uma cafeicultura de sucesso". Com uma alta de 8% no número de expositores, a feira – entre as principais da cafeicultura brasileira - espera receber 35 mil visitantes durante os três dias.

"A Femagri, por ser a mais importante feira do negócio café, já gera boas expectativas de negócios, pois o produtor aguarda este momento para investir", disse José Geraldo Olyntho Junqueira Filho, Gerente Comercial da Cooxupé.

Ainda segundo ele, os cerca de 130 expositores levarão aos visitantes inovações e melhorias em equipamento e processos para transformar o futuro da produção nas lavouras, como a carreta com kit medidor da quantidade de café colhido, que no processo de carregar a carreta já mensura o volume, e soluções de energia sustentável como a solar, por meio de painéis fotovoltaicos.

Os produtores visitantes terão acesso a produtos e serviços que demonstrarão o comprometimento do setor com uma produção responsável e as boas práticas agrícolas na propriedade, com base nos três pilares da feira: ambiental, social e econômico.

Além disso, os cafeicultores encontrarão na feira o 'Espaço Pecuária', uma área com demonstração com animais de elite leiteira e de corte, com abordagem de novas técnicas. "Também nos preocupamos com outras necessidades do cooperado de café, trazendo inovação em pecuária, como o sistema 'Compost Barns', que trata de conferir mais conforto térmico para o gado leiteiro. Haverá ainda rodadas de palestras e debates com profissionais do setor", explica José Geraldo.

Crédito e Fazendinha

A FEMAGRI também traz ao produtor opções de financiamento por meio de linhas de crédito bancário ou por meio da operação chamada barter, em que o café é utilizado como moeda de troca para pagamento.


No espaço Fazendinha, serão apresentadas soluções sustentáveis que podem ser implantadas nas propriedades e promover a produção responsável. Neste ano entre os temas a serem trabalhados estão: Núcleo de Educação Ambiental, Manejo pós-colheita do café para melhoria da qualidade do café, Uso do Mulching na cafeicultura, Armazenamento Correto de Defensivos, Tecnologia de Aplicação, Tratamento de Esgoto Doméstico, Geoprocessamento, Uso de Equipamentos de Proteção Individual, Cafeicultura de Precisão, além das invenções dos produtores com dinâmica de máquinas. 

Cafeicultores encontram durante a FEMAGRI inovações, equipamentos e processos para melhorar a lavoura. Crédito: Divulgação

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

FEMAGRI: produção responsável é o tema de um dos principais eventos da cafeicultura nacional


Feira será realizada entre os dias 21 e 23 de fevereiro em Guaxupé/MG

A 17ª edição da FEMAGRI - Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas – um dos principais eventos voltados para o produtor de café acontece entre os dias 21 e 23 de fevereiro em Guaxupé/MG. O evento é organizado pela Cooxupé – Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé.

Com o tema "Produção responsável para uma cafeicultura de sucesso", a feira espera receber 35 mil pessoas. Serão 130 expositores, número 8% maior em relação à edição de 2017, além de mais espaço útil para circulação do público.

Segundo Elmo Donizetti de Cístolo, gerente de Planejamento e Administração da cooperativa, os produtores visitantes terão acesso a produtos e serviços que demonstrarão o comprometimento do setor com uma produção responsável e as boas práticas agrícolas na propriedade. "A feira será disposta sob os três pilares: ambiental, social e econômico, com o objetivo de atender as exigências do mercado, fornecendo um produto seguro e de qualidade ao consumidor final", explica.

Novidade

Uma das novidades desta edição é voltada para o segmento da Pecuária, que passa a ter um espaço próprio dentro da feira. O 'Espaço Pecuária' será uma área com demonstração de animais de elite leiteira e de corte, além de abordar novas técnicas. No local também estarão presentes a equipe dos laboratórios de análise da cooperativa e a fábrica de ração que farão a orientação sobre os assuntos do segmento.

Estrutura


A 17ª edição da FEMAGRI ainda apresenta os espaços "Empório Cooxupé", antigo estande da Torrefação com a venda de souvenir, utilitários, vestuário e do café Cooxupé ; a Fazendinha que traz soluções sustentáveis e de baixo custo para as propriedades; o espaço Cooperado Consciente que conta com palestras com conteúdo relevantes aos produtores, espaços Beleza, Kids e Goumert.


Já nos estandes de negociações, os cafeicultores podem aproveitar as opções de financiamento por meio de linhas de crédito bancário ou por meio da operação chamada barter, em que o café é utilizado como moeda de troca para pagamento dividido em três anos.

FEMAGRI 2017 espera receber 35 mil pessoas em 3 dias em Guaxupé/MG. Foto: Cristiano de Oliveira

Produtores podem adquirir insumos e maquinários pela operação Barter. Foto: Divulgação

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

FEMAGRI confirma expectativas e aponta investimentos do cafeicultor para ganhar eficiência e reduzir custos

Feira realizada pela Cooxupé, de 08 a 10 de fevereiro, em Guaxupé, alcançou as expectativas de público e cresceu em negócios 

A 16ª edição da FEMAGRI – Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas realizada pela Cooxupé confirmou a tendência do produtor de café do sul de Minas Gerais, cerrado mineiro e da média mogiana do estado de São Paulo em investir em suas propriedades para ganhar eficiência e, assim, aumentar a rentabilidade e qualidade de vida – tema do evento deste ano.  As expectativas da Cooxupé, cooperativa realizadora da feira, foram alcançadas: recorde de público com  38.249 mil visitantes compradores passaram pelo evento gerando entre os dias 08 e 10 de fevereiro um volume de negócios 36% maior em relação à edição de 2016. As estimativas eram de até 35 mil pessoas e um crescimento nas negociações em 16%.

“O resultado da feira deste ano comprova que mesmo com a situação pela qual o país vem passando, nossos cooperados mantiveram o bom ânimo e não estão deixando de investir em soluções para que suas propriedades estejam cada vez mais modernas, ganhando em rentabilidade, sustentabilidade e qualidade de vida”, afirma o presidente da cooperativa, Carlos Alberto Paulino da Costa.

Vitrine de tecnologias e lançamentos das principais empresas do agronegócio brasileiro, a FEMAGRI apresentou para as famílias cafeicultoras novidades e soluções que atendem a  todos os tamanhos de propriedades, como uma ferramenta multifuncional, que possibilita ao cafeicultor utilizar uma mesma base e transformá-la em roçadeira, motopoda, podador de altura, aparador de cantos, motocultivador ou um derriçador; uma área de vivência, com refeitório e banheiros, adaptada em uma carretinha para atender as equipes de trabalho no campo; uma lavadora de alta pressão que utiliza etanol como combustível para o sistema de aquecimento da água; um despolpador de café, que reduz a zero o consumo de água, entre outras opções. 

O produtor encontrou na FEMAGRI as  opções de financiar sua compra por meio de linhas de crédito bancário ou por meio da operação barter, em que o café é utilizado como moeda de troca para pagamento dividido em três anos. “O valor da saca tem como base o estabelecido pelo mercado de café. Consideramos uma opção bastante segura aos cooperados, pois ele aproveita o preço de hoje sem se preocupar com possíveis oscilações do preço dos próximos anos”, explica o superintendente de Desenvolvimento de Cooperado da Cooxupé, José Eduardo Santos Júnior.

A Feira também foi ponto de difusão de conhecimento para os cooperados. Na Fazendinha, as famílias conheceram soluções sustentáveis e de baixo custo que podem ser implantadas nas propriedades. O espaço todo contou com a presença dos profissionais (engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas) do Departamento de Desenvolvimento Técnico da Cooxupé. Uma das principais novidades do espaço foi o Cine Cooxupé. Em cartaz, o filme “Filhos do Café”, uma homenagem ao cafeicultor em comemoração aos 60 anos da Cooxupé e aos 85 anos de cooperativismo regional. Além da Fazendinha, no espaço Cooperado Consciente, foram ministradas palestras sobre Gestão Financeira. “O conhecimento é muito importante para que o produtor conquiste seus objetivos dentro de sua propriedade. Não adianta abrirmos as portas do universo de tecnologias do nosso setor para nossos cooperados se o conhecimento não chegar até ele. Por isso, investimos em ações para que eles encontrem na Feira a oportunidade de descobrir novas informações e aplicá-las em seu dia a dia”, aponta Carlos Paulino.

A 16ª FEMAGRI ainda contou com os espaços Beleza, Kids, Goumert e a Unidade Agropecuária. A Torrefação apresentou na boutique a linha de café torrado e moído da cooperativa. A feira foi realizada numa área total de 107 mil metros quadrados e coberta de 34 mil m², concentrando 139 estandes e 120 expositores.



Instituições de ensino promovem integração entre pesquisa e produtores na 16ª Femagri

O IFSULDEMINAS – Campus Muzambinho e a Universidade Federal de Lavras estão promovendo a integração entre as pesquisas desenvolvidas por professores e alunos com a realidade dos produtores de café que visitam a 16ª Femagri (Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas), que acontece até sexta-feira (10/02), em Guaxupé (MG). O evento é realizado pela Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé).

No estande do Instituto Federal do Sul de Minas, os visitantes têm a oportunidade de participar de diversos minicursos, além de realizarem exames preventivos e conhecerem os produtos produzidos como iogurte, doces, queijos e defumados.

O destaque na área agrícola é uma nova técnica de análise de solo que permite maior agilidade e retirada das mostras sem o mascaramento por contaminação da ferramenta.

Já os alunos da Universidade Federal de Lavras, por meio da empresa júnior Enagri Jr. - Projetos e Consultoria Agrícola, estão apresentando os serviços de consultoria disponibilizados nas áreas de geoprocessamento, gestão e administração rural, armazenamento e processamentos de produtos e grãos, máquinas e mecanização agrícola, construções rurais, conservação de água e solo, irrigação e drenagem, entre outros.