sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

FEMAGRI confirma expectativas e aponta investimentos do cafeicultor para ganhar eficiência e reduzir custos

Feira realizada pela Cooxupé, de 08 a 10 de fevereiro, em Guaxupé, alcançou as expectativas de público e cresceu em negócios 

A 16ª edição da FEMAGRI – Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas realizada pela Cooxupé confirmou a tendência do produtor de café do sul de Minas Gerais, cerrado mineiro e da média mogiana do estado de São Paulo em investir em suas propriedades para ganhar eficiência e, assim, aumentar a rentabilidade e qualidade de vida – tema do evento deste ano.  As expectativas da Cooxupé, cooperativa realizadora da feira, foram alcançadas: recorde de público com  38.249 mil visitantes compradores passaram pelo evento gerando entre os dias 08 e 10 de fevereiro um volume de negócios 36% maior em relação à edição de 2016. As estimativas eram de até 35 mil pessoas e um crescimento nas negociações em 16%.

“O resultado da feira deste ano comprova que mesmo com a situação pela qual o país vem passando, nossos cooperados mantiveram o bom ânimo e não estão deixando de investir em soluções para que suas propriedades estejam cada vez mais modernas, ganhando em rentabilidade, sustentabilidade e qualidade de vida”, afirma o presidente da cooperativa, Carlos Alberto Paulino da Costa.

Vitrine de tecnologias e lançamentos das principais empresas do agronegócio brasileiro, a FEMAGRI apresentou para as famílias cafeicultoras novidades e soluções que atendem a  todos os tamanhos de propriedades, como uma ferramenta multifuncional, que possibilita ao cafeicultor utilizar uma mesma base e transformá-la em roçadeira, motopoda, podador de altura, aparador de cantos, motocultivador ou um derriçador; uma área de vivência, com refeitório e banheiros, adaptada em uma carretinha para atender as equipes de trabalho no campo; uma lavadora de alta pressão que utiliza etanol como combustível para o sistema de aquecimento da água; um despolpador de café, que reduz a zero o consumo de água, entre outras opções. 

O produtor encontrou na FEMAGRI as  opções de financiar sua compra por meio de linhas de crédito bancário ou por meio da operação barter, em que o café é utilizado como moeda de troca para pagamento dividido em três anos. “O valor da saca tem como base o estabelecido pelo mercado de café. Consideramos uma opção bastante segura aos cooperados, pois ele aproveita o preço de hoje sem se preocupar com possíveis oscilações do preço dos próximos anos”, explica o superintendente de Desenvolvimento de Cooperado da Cooxupé, José Eduardo Santos Júnior.

A Feira também foi ponto de difusão de conhecimento para os cooperados. Na Fazendinha, as famílias conheceram soluções sustentáveis e de baixo custo que podem ser implantadas nas propriedades. O espaço todo contou com a presença dos profissionais (engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas) do Departamento de Desenvolvimento Técnico da Cooxupé. Uma das principais novidades do espaço foi o Cine Cooxupé. Em cartaz, o filme “Filhos do Café”, uma homenagem ao cafeicultor em comemoração aos 60 anos da Cooxupé e aos 85 anos de cooperativismo regional. Além da Fazendinha, no espaço Cooperado Consciente, foram ministradas palestras sobre Gestão Financeira. “O conhecimento é muito importante para que o produtor conquiste seus objetivos dentro de sua propriedade. Não adianta abrirmos as portas do universo de tecnologias do nosso setor para nossos cooperados se o conhecimento não chegar até ele. Por isso, investimos em ações para que eles encontrem na Feira a oportunidade de descobrir novas informações e aplicá-las em seu dia a dia”, aponta Carlos Paulino.

A 16ª FEMAGRI ainda contou com os espaços Beleza, Kids, Goumert e a Unidade Agropecuária. A Torrefação apresentou na boutique a linha de café torrado e moído da cooperativa. A feira foi realizada numa área total de 107 mil metros quadrados e coberta de 34 mil m², concentrando 139 estandes e 120 expositores.



Instituições de ensino promovem integração entre pesquisa e produtores na 16ª Femagri

O IFSULDEMINAS – Campus Muzambinho e a Universidade Federal de Lavras estão promovendo a integração entre as pesquisas desenvolvidas por professores e alunos com a realidade dos produtores de café que visitam a 16ª Femagri (Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas), que acontece até sexta-feira (10/02), em Guaxupé (MG). O evento é realizado pela Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé).

No estande do Instituto Federal do Sul de Minas, os visitantes têm a oportunidade de participar de diversos minicursos, além de realizarem exames preventivos e conhecerem os produtos produzidos como iogurte, doces, queijos e defumados.

O destaque na área agrícola é uma nova técnica de análise de solo que permite maior agilidade e retirada das mostras sem o mascaramento por contaminação da ferramenta.

Já os alunos da Universidade Federal de Lavras, por meio da empresa júnior Enagri Jr. - Projetos e Consultoria Agrícola, estão apresentando os serviços de consultoria disponibilizados nas áreas de geoprocessamento, gestão e administração rural, armazenamento e processamentos de produtos e grãos, máquinas e mecanização agrícola, construções rurais, conservação de água e solo, irrigação e drenagem, entre outros.   




Carretinha com área de vivência para trabalhadores rurais é alternativa para promover bem-estar no campo


Os visitantes da 16ª Femagri (Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas), que acontece até sexta-feira (10/02), em Guaxupé (MG), têm a oportunidade de conhecer uma carretinha com área de vivência para trabalhadores rurais. O evento é realizado pela Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé).

A estrutura, que possui vários modelos, tem capacidade de 8 a 20 pessoas, com piso antiderrapante nos banheiros, vaso revestido com fibra de vidro, caixa de dejetos, varanda com mesas e banco móveis, além de saboneteiras, suporte para papel toalha e papel higiênico, pias, entre outros acessórios.

As carretinhas, cujos custos variam de R$ 7 mil a R$ 20 mil, têm o objetivo de auxiliar na implantação e manutenção das ações previstas nas normas do Ministério do Trabalho, principalmente, a NR 31, que se refere à segurança e saúde do trabalhador rural.




quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Com a presença de mais de 13 mil visitantes no segundo dia, FEMAGRI oferece ao cafeicultor aperfeiçoamento técnico e estrutural para aumentar rentabilidade

Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas da Cooxupé acontece em Guaxupé até esta sexta, dia 10


A 16ª edição da FEMAGRI – Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas realizada pela Cooxupé - recebeu no segundo dia de programação 13.196 mil visitantes/compradores. O evento está sendo realizado em Guaxupé, sul de Minas Gerais, e termina nesta sexta, dia 10, às 18h. Considerando os dois primeiros dias, passaram pela feira um total de 23.798 pessoas. A geração de negócios, segundo a organização, deve alcançar as expectativas gerais, que é de crescer 16% em relação à edição do ano passado. 

A diretoria da Cooxupé está apostando na difusão de conhecimento e no acesso a novas técnicas e recursos durante a FEMAGRI, visando que os cafeicultores tenham como aperfeiçoar sua produção e aumentar a rentabilidade nas próximas safras. Atualmente a cooperativa possui mais de 13 mil cooperados - sendo que 84% são pequenos produtores que vivem da agricultura familiar – e recebe café produzido em mais de 200 municípios de sua área de ação, localizada nas regiões do sul de Minas Gerais, Cerrado Mineiro e média mogiana do estado de São Paulo.


De acordo com José Eduardo Santos Júnior, superintendente de Desenvolvimento Cooperado, em razão dos trabalhos de assistência técnica, acesso aos insumos e informações disponibilizadas em ações promovidas pela Cooxupé, a produção dos cooperados apresenta um desempenho superior aos cafeicultores não-cooperados. “Observamos que nas regiões de atuação da Cooxupé no sul de Minas Gerais, no cerrado mineiro e no Vale do Rio Pardo (SP), as propriedades de cooperados têm um desempenho, em média, 10% superior aos cafeicultores da mesma região. Isso é possível em razão do acesso aos recursos e informações oferecidas em eventos como a FEMAGRI e campanhas da cooperativa que possibilitam essa maior produtividade”, diz Santos Júnior. 

O vice-presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, ressalta ainda que a região atendida pela cooperativa vive um momento atípico em relação ao país, onde algumas localidades sofrem com problemas significativos na produção. “O objetivo da Cooxupé, por meio da realização da FEMAGRI, é levar o conhecimento aos produtores, já que muitos cooperados não têm condições de ir a outros eventos. Assim, conseguimos fomentar o crescimento do produtor por meio do investimento em novas tecnologias, novas práticas e na modernização das áreas cultivadas”, afirma Melo.


Segundo Carlos Alberto Paulino da Costa, presidente da Cooxupé, os dados preliminares da 16ª FEMAGRI apontam que o produtor está buscando a modernização como forma de aumentar a sua produtividade e rentabilidade. “A cada ano a feira está maior e com mais novidades. Nesses 60 anos da cooperativa nossa diretriz é manter o ambiente profissional e operacional de uma empresa de alto desempenho. Para isso, nosso diferencial foi focar no que somos melhor que é a produção de café. Assim temos uma vantagem competitiva em relação a outros produtores”, diz Costa.


Em 2017, a cooperativa está comemorando seus 60 anos ligados à cultura do café e 85 anos de
cooperativismo regional.





Serviço:
16ª Femagri
Quando: até sexta-feira (10/02)
Horário: das 08h às 18h
Local: Av. Vereador Nelson Elias, 1300b – Bairro Japy, Guaxupé/MG.
Entrada Franca / Estacionamento gratuito.
Site: www.cooxupe.com.br/femagri

Ferramentas adotam postura multifuncional e sustentável na 16ª Femagri

Os visitantes da 16ª Femagri (Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas), que acontece até sexta-feira (10/02), em Guaxupé (MG), terão a oportunidade de conhecer ferramentas com perfil multifuncional e sustentável. O evento é realizado pela Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé.

Para auxiliar os pequenos produtores por meio da redução de custos com equipamentos e maior eficiência, a Stihl trouxe como novidade a ferramenta multifuncional KA 85 R que permite a adaptação para diversas funções. Por meio da troca dos acessórios, a ferramenta possibilita transformá-la em roçadeira, motopoda, podador de altura, aparador de cantos, motocultivador ou derriçador.

Já a empresa Jacto apresenta como novidade a lavadora de alta pressão J15000H Eco, que utiliza etanol (álcool combustível) no mecanismo de aquecimento de água. As versões tradicionais utilizam querosene ou diesel. O equipamento é indicado para o uso de limpeza de locais onde é desnecessário desengraxar, desengordurar e diluir sujeiras incrustadas.


Empresas de máquinas apostam em eficiência ecológica na 16ª Femagri

As empresas de máquinas agrícolas estão investindo na eficiência ecológica como um dos grandes diferenciais dos lançamentos apresentados na 16ª Femagri (Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas), que acontece até sexta-feira (10/02), em Guaxupé (MG). O evento é realizado pela Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé), que é considerada a maior cooperativa de café arábica do Brasil.

O destaque entre os expositores são os modelos de despolpadores disponibilizados pelas empresas Palini & Alves (modelo EcoZero) e Pinhalense (Eco Super), que reduzem a zero o consumo de água durante o processamento.
No início dos anos 1990, o processamento equivalente a uma saca de café consumia cerca de 150 litros de água. Em um modelo anterior, lançado em 2012, a mesma produção envolve o consumo de cerca de 62 litros de água.
Por meio desses lançamentos, a expectativa é que os produtores aumentem a rentabilidade com redução do custo com consumo de água e tenham ganho ambiental por meio de uma solução para a água residual pós-processamento.



FEMAGRI aposta em aperfeiçoamento técnico e estrutural para aumentar rentabilidade do produtor

De acordo com a Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé), organizadora do evento, a produção dos cooperados, em média, é 10% superior ao de produtores não-cooperados em razão da assistência e das campanhas realizadas pela entidade

A diretoria da Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé) aposta na difusão de conhecimento e no acesso a novas técnicas e recursos durante a 16ª Femagri (Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas) visando que os cafeicultores tenham como aperfeiçoar sua produção e aumentar a rentabilidade nas próximas safras. O evento acontece até nesta sexta-feira, dia 10, em Guaxupé/MG.

Atualmente a Cooxupé possui mais de 13 mil cooperados, sendo que 84% são pequenos produtores que vivem da agricultura familiar, recebendo café produzido em mais de 200 municípios de sua área de ação, localizada nas regiões do sul de Minas Gerais, Cerrado Mineiro e Vale do Rio Pardo (no estado de São Paulo).

De acordo com José Eduardo Santos Júnior, superintendente de Desenvolvimento Cooperado, em razão dos trabalhos de assistência técnica, acesso aos insumos e informações disponibilizadas em ações promovidas pela Cooxupé a produção dos cooperados apresenta um desempenho superior aos cafeicultores não-cooperados.

“Observamos que nas regiões de atuação da Cooxupé no sul de Minas Gerais, região do Cerrado mineiro e no Vale do Rio Pardo (no estado de São Paulo), as propriedades de cooperados têm um desempenho, em média, 10% superior aos cafeicultores da mesma região. Isso é possível em razão do acesso aos recursos e informações oferecidas em eventos como a Femagri e campanhas da cooperativa que possibilitam essa maior produtividade”, diz Santos Júnior.

O vice-presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, ressalta ainda que a região atendida pela cooperativa vive um momento atípico em relação ao país, onde algumas localidades sofrem com problemas significativos na produção.

“O objetivo da Cooxupé, por meio da realização da Femagri, é levar o conhecimento aos produtores, já que muitos cooperados não tem condições de ir a outros eventos. Assim, conseguimos fomentar o crescimento do produtor por meio do investimento em novas tecnologias, novas práticas e na modernização das áreas cultivadas”, afirma Melo.

Segundo Carlos Alberto Paulino da Costa, presidente da Cooxupé, os dados preliminares da 16ª Femagri apontam que o produtor está buscando a modernização como forma de aumentar a sua produtividade e rentabilidade.

“A cada ano a Femagri está maior e com mais novidades. Nesses 60 anos da cooperativa nossa diretriz é manter o ambiente profissional e operacional de uma empresa de alto desempenho. Para isso nosso diferencial foi focar no que somos melhor que é a produção de café. Assim temos uma vantagem competitiva em relação a outros produtores”, diz Costa.

Serviço:
16ª Femagri
Quando: até sexta-feira (10/02)
Horário: das 08h às 18h
Local: Av. Vereador Nelson Elias, 1300b – Bairro Japy, Guaxupé/MG.
Entrada Franca / Estacionamento gratuito.